Assim são as viagens de carro dos espanhóis: 407 km, menos de 5 horas, poucas paragens e a ouvir Coldplay

- Roadlovers

  • Os automobilistas do nosso país avaliam com um “notável” (7,9) as suas viagens de carro
  • Coldplay, Queen e Fito&Fitipaldis, os grupos mais ouvidos pelos viajantes espanhóis
  • O trajeto “médio” variou muito pouco nos últimos 45 anos: antes, 409 km; hoje, 407 km
  • Quase um em cada três viajantes não faz nenhuma paragem
  • 61% das “escapadelas” dura menos de 5 horas, quando em 1973 este número era de apenas 39%
  • A maioria dos entrevistados considera que os viajantes atuais “não conduzem melhor, nem são mais prudentes” do que os de há quarenta e cinco anos
  • Um em cada cinco viajantes deixaria de viajar se não pudesse levar o seu animal de estimação

 

Na Centauro Rent a Car apresentámos o Estudo sobre a evolução das viagens de carro nos últimos 45 anos. Com este relatório, elaborado a partir de 1300 entrevistas em toda a Espanha, pretendemos tirar a “fotografia” de como evoluíram as viagens de carro desde 1973 (ano do nascimento da empresa) até 2018; assim como reunir informações interessantes sobre as mudanças nos hábitos e nos costumes dos condutores espanhóis. 

Estudo sobre a evolução das viagens de carro nos últimos 45 anos

O relatório indica que a média de ocupantes por veículo é, atualmente, de três viajantes, quando há 45 anos era de quatro. Relativamente à distância dos trajetos, o estudo revela que os espanhóis continuam a fazer atualmente o mesmo número de quilómetros que faziam há quatro décadas. Mais especificamente, hoje em dia, a viagem média de carro é de 407 km, sendo que há 45 anos era praticamente o mesmo: 409 Km. Contudo, o relatório sublinha que as viagens de carro de agora têm uma menor duração do que antigamente. 61% das “escapadelas” dura menos de 5 horas, quando em 1973 este número era de apenas 39%.

Outro aspeto relevante do estudo é que o número de paragens para descansar que se fazem nas viagens de carro diminuiu significativamente com o passar dos anos. Nos anos 70, 64% dos viajantes fazia mais do que uma paragem. Atualmente, apenas 31% faz mais do que uma. Além disso, 27% dos entrevistados garante que faz a viagem de “uma assentada”

A “viagem ideal”: a dois

A viagem “ideal” é feita a dois (sem mais ninguém), para 42% dos entrevistados, e com a família mais próxima (o casal e os filhos) (38%). Apenas uma minoria (15%) – principalmente os millennials – indica que os seus melhores companheiros de viagem são os amigos, antes de indicarem o casal. A título de curiosidade, os animais de estimação são considerados como um membro da família para a maioria dos entrevistados. E, um em cada cinco, deixaria de viajar se não pudesse levar o seu animal de estimação. 

A praia perde adeptos

A costa, o mar e a montanha mantêm-se como os destinos preferidos dos viajantes espanhóis ao longo do tempo. Contudo, a praia perdeu terreno como “destino ideal” nos últimos 45 anos. Mais concretamente, passou de 52% para 35%; enquanto aumenta o interesse dos viajantes pelas cidades (de 17% para 28%). A montanha também ganhou protagonismo: com 32% face aos 26% de antigamente. 

Atualmente, os principais motivos para viajar são: descansar (56%), visitar a família/amigos (33%) e conhecer novos lugares (32%). 

As viagens: “mais rápidas, cómodas e seguras”

Os espanhóis avaliam com uma nota média de 7,9 (em 10) as viagens de carro, sendo que antigamente as classificavam com um 7,1. A maioria refere a evolução no conforto (ar condicionado, assentos maiores…) e na segurança dos veículos. Especificamente, dizem que as viagens agora são mais rápidas (75,9%), mais cómodas (74,7%) e mais seguras (57%). Ainda que, paradoxalmente, muitos inquiridos não achem que os condutores atuais “conduzam melhor” ou “sejam mais prudentes”. Também não consideramos que as viagens hoje em dia sejam “mais divertidas” do que as de antigamente, apesar das novas comodidades e do avanço da tecnologia.

Ouvimos música, falamos e olhamos para a paisagem

Atualidade, as principais distrações dos viajantes são: ouvir música (95%), falar com os companheiros de viagem (92%), olhar para a paisagem (90%) e ouvir rádio – segmentos informativos ou programas, não música (84%).

O pop e o rock são os géneros musicais mais ouvidos pelos automobilistas espanhóis. E, quanto a artistas concretos, Coldplay, Queen e Fito&Fitipaldis são os mais ouvidos. Entre os mais jovens (18-30 anos), por outro lado, a música ideal para ouvir no carro é a música eletrónica, o rap/hip hop, o reggaeton ou o trap.

Cómo hemos cambiado

Cantamos e brincamos ao “o que é aquilo?” com as crianças

O estudo sublinha que os jogos “clássicos” para distrair as crianças continuam a ser os mesmos ao longo dos anos, apesar do avanço das novas tecnologias. Os “truques” mais comuns, hoje em dia, para distrair os “mais pequenos” são: colocar música (66%), cantar (46%), brincar ao “o que é aquilo?”, “palavras encadeadas” ou outros jogos tradicionais (34%) e ver filmes (33%). O relatório assinala, além disso, que os telemóveis tornaram-se num dos “truques” mais utilizados pelos pais.

Somos mais precavidos a preparar as viagens

Os viajantes de hoje em dia são mais precavidos do que os de antigamente. Atualmente, 65% dos espanhóis prepara a viagem de verão com mais de um mês de antecedência. No extremo oposto, encontramos 38% de espanhóis que sabe que vai viajar este verão, mas que não tem nada programado. 

Quanto a tarefas concretas, 60% dos entrevistados planeia o itinerário, 59% prepara comida e bebida (sandes…) para a viagem e 55% pesquisa informações sobre o destino. No passado, apenas 46% preparava o itinerário e as atividades centrando-se mais na preparação da comida (68%) e em definir onde iriam ser efetuadas as paragens (33%). Neste aspeto, convém destacar que o aparecimento da Internet – assim como das novas tecnologias, como o GPS ou o telemóvel com 4G – foi um fator fundamental para que os espanhóis possam preparar com maior facilidade muitos aspetos concretos da viagem.

Acerca do “Estudo sobre a evolução das viagens de carro nos últimos 45 anos”

O estudo foi elaborado pelo IPSOS, o maior instituto independente de investigação de mercados. Foram realizadas mais de 1300 entrevistas em toda a Espanha para reunir informação sobre “como é que as viagens de carro evoluíram nos últimos 45 anos, na perspetiva dos viajantes atuais (menores de 58) e a lembrança de quem, nos anos 70, era viajante”. Este novo relatório faz parte da campanha global “O verão de 73” que estamos a desenvolver para comemorar o nosso 45.º aniversario ao longo deste ano.
 

Centauro Rent a Car